Informações Úteis

  • DOCUMENTAÇÃO PARA VIAGENS NO BRASIL: carteira de identidade civil (RG), carteira nacional de habilitação (CNH), carteira funcional (OAB, CRM. CREA, militares e outras) e certidão de nascimento para menores, todas originais e válidas. Cópias não são aceitas pelos órgãos de fiscalização. Salientando que a carteira de identidade tem validade de 10 anos. Menores desacompanhados dos pais podem viajar dentro do Brasil sem necessidade de autorização.
  • DOUMENTAÇÃO PARA VIAGENS INTERNACIONAIS NO MERCOSUL (Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai): passaporte e carteira de identidade civil (RG), originais e válidos. Cópias não são aceitas pelos órgãos de fiscalização.Salientando que a carteira de identidade tem validade de 10 anos. Qualquer outro tipo de documento não é aceito, inclusive para menores. Menores desacompanhados dos pais ou de um deles, é necessário a autorização do juizado de menores do que estiver ausente.
  • DOUMENTAÇÃO PARA VIAGENS INTERNACIONAIS (FORA DO MERCOSUL): passaporte original e válido. Alguns países exigem visto de entrada, consulte VIP CLASS TURISMO para saber quais são os países e para orientações de como solicitar seu visto.
  • VACINA FEBRE AMARELA: Alguns países exigem o certificado de vacinação contra a febre amarela. Esta vacina deve ser tomada com mínimo de 10 dias antes do embarque, tem validade de 10 anos e somente serão aceitos certificados internacionais de vacinação. A vacina é aplicada nos locais descritos no site da ANVISA – Agência Nacional da Vigilância Sanitária – www.anvisa.gov.br. Citamos como exemplo alguns países que necessitam da vacina contra a febre amarela: Peru, Colômbia, Venezuela, Panamá, África do Sul e Brasil. No Brasil, os locais de risco são as regiões de matas e rios das seguintes regiões: todos os Estados da Região Norte e Centro-Oeste, bem como parte da Região Nordeste (Estado do Maranhão, sudoeste do Piauí, oeste e extremo-sul da Bahia), Região Sudeste (Estado de Minas Gerais, oeste de São Paulo e norte do Espírito Santo) e Região Sul (oeste dos Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul).O Ministério da Saúde disponibiliza gratuitamente a vacina em postos de saúde de todos os municípios do país. Esta vacina é muito segura e protege durante 10 anos. Para as pessoas que já foram vacinadas há mais de 10 anos, basta tomar uma dose de reforço e seguir viagem, não sendo necessário esperar 10 dias para garantir sua proteção.As pessoas vacinadas em Unidades do SUS recebem um comprovante de vacinação que é válido em todo território nacional: é o Cartão Nacional de Vacinação, de cor branca. O comprovante da vacina deve fazer parte de sua bagagem.
  • ALIMENTAÇÃO:Viajar para um país de cultura diferente significa também diferença no que é mais básico: alimentação. Para evitar problemas de saúde, adote os seguintes hábitos:
    • Lavar sempre as mãos com água e sabão várias vezes ao dia, principalmente antes de qualquer refeição, ao utilizar transportes públicos e locais com muito fluxo de pessoas;
    • Consumir água mineral envasada;
    • Ficar atento à limpeza dos ambientes, à apresentação dos funcionários, à frequência do local, pois um lugar sempre cheio pode ser sinal de bons serviços e produtos;
    • Ficar atento às condições de conservação e apresentação dos alimentos: pratos quentes devem estar bem cozidos/assados e quentes na hora de consumir. Já saladas e sobremesas devem estar frias no momento em que forem consumidas;
    • Não comer alimentos que aparentem estar a algumas horas em temperatura ambiente;
    • Evitar comer alimentos de ambulantes ou de procedência duvidosa;
    • Evitar comer carnes cruas ou mal passadas;
    • Evitar qualquer prato que contenha ovos crus;
    • Somente consumir frutas e verduras se as cascas estiverem em bom estado, mas lave-as bem antes de comê-las.
    Para maiores orientações quanto aos cuidados com a alimentação durante viagens acesse A Guideon Safe Food for Travellers, da Organização Mundial de Saúde:
    Português – http://www.who.int/foodsafety/publications/consumer/travellers_portuguese.pdf
  • REGRAS A RESPEITO DA LEGISLAÇÃO ADUANEIRA DO BRASIL, NO QUE TANGE A VIAGENS RODOVIÁRIAS COM DESTINOS FRONTEIRIÇOS (Paraguai, Uruguai e Argentina):
    * Sua Cota de compras no exterior é de US$ 300,00 por passageiro, não cumulativas em nenhuma hipótese.
    * Crianças não terão direito a Cotas de compras para mercadorias de consumo próprio.
    * Bagagens que caracterizarem ter destino de comércio não serão transportadas (ex. produtos repetidos).
    * O limite de bagagem permitido de cada passageiro é de 30 kg no total, podendo ser divididos em até 3 volumes pequenos.
    * Todas as mercadorias que forem compradas no exterior devem ser declaradas na Receita Federal do Brasil e apresentado ao motorista com a respectiva Declaração de Bagagem Acompanhada (DBA) para poderem ser transportadas. Não serão transportadas compras de passageiros que não possuírem a DBA da Receita Federal.
    * No interior do veículo (salão) não poderá ser transportado nenhum volume oriundo de compras no exterior, apenas produtos de uso pessoal na viagem (bolsas de mulheres ou alimentos).
    * Todas as bolsas devem ser etiquetadas de forma a comprovar sua propriedade.
    * Não serão transportados produtos tais como cigarros, pneus ou produtos proibidos pela legislação brasileira.
    * Os motoristas poderão solicitar vistoriar as bagagens no ato do embarque conforme orientação da Receita Federal do Brasil. Em caso de negativa de vistoria por parte do passageiro a bagagem não será embarcada.
    * A empresa reserva-se o direito de não transportar mercadorias e bagagens que não atendam as regras acima.